Tatuadora russa ajuda mulheres cobrindo marcas de violência doméstica com lindas tatuagens

Com flores e borboletas uma tatuadora russa ajuda mulheres cobrindo marcas de violência doméstica e relacionamentos abusivos gratuitamente e já atendeu mais de 1000 clientes no último ano.

A violência doméstica atinge mulheres no mundo todo a todo momento, desde abuso psicológico até agressões físicas e tentativas de homicídio, normalmente praticados pelos companheiros em relacionamentos abusivos. Na Rússia este é um problema de grande escala atingindo a toda a população. Estimativas da Polícia Russa dizem que 40% dos crimes violentos do País acontecem dentro das famílias, enquanto de acordo com o Centro de Pesquisa de Opinião Pública da Rússia, em pesquisa realizada em janeiro de 2017, 19% dos entrevistados afirmou ser aceitável bater em um marido, esposa ou filho em “certas circunstâncias” o que define o problema como sendo algo enraizado na cultura do País.

Recentemente o presidente russo Vladimir Putin assinou uma lei baseada em um projeto que descriminaliza algumas formas de violência domésticas, criando punições mais brandas para quem praticar determinados atos de violência como multas e prisões de 15 dias quando não há lesões corporais.

Tatuadora russa cobre gratuitamente marcas de violência doméstica
Yevgeniya Zakhar atendendo uma de suas clientes

Dentro deste caótico cenário cultural e legal conhecemos Yevgeniya Zakhar, uma tatuadora de Ufa, cidade há 1200Km ao Leste de Moscou, que ano passado criou um anúncio oferecendo gratuitamente tatuagens para cobrir marcas e cicatrizes resultantes de violência doméstica sofrida por mulheres. Ela cria belos desenhos de flores e borboletas para suas clientes de acordo com suas preferências e escuta suas histórias durante as sessões, o que tornou sua agenda tão lotada que ela precisou limitar seu atendimento para um dia por semana evitando também estresse devido às cruéis histórias que ouviu neste tempo.

“Eu não esperava ser inundado com visitas. Eu tive que trabalhar em dois a quatro clientes por dia. É realmente assustador olhar para este problema e ouvir o que as pessoas estão dizendo.”

As clientes de Zakhar costumam escolher borboletas ou desenhos florais para cobrir os sinais visíveis de abuso. Elas confiam na artista, compartilhando os horrores das relações que passaram de mau ao violento e ao vicioso. Transformar as cicatrizes em algo de sua própria escolha impulsiona a auto-estima das mulheres e ajuda-as a ganhar novas perspectivas sobre o trauma, disse Zakhar.

“As meninas estão dispostas a falar, muitas vezes porque será a última vez que falam sobre as cicatrizes”, disse ela. “Elas não falam sobre isso mais tarde, porque elas estarão falando sobre sua bela tatuagem, não uma cicatriz.”

Russia From Scars to Tattoos

Algumas vítimas relatam não poder contar com a polícia para ajudá-las pois nada é feito para tal. Uma delas, que vou jogada contra uma janela pelo namorado e precisou de 5 horas de cirurgia para salvar seu braço disse ser contra a nova lei Russa.

“Está errado, tudo começa com uma bofetada”, disse ela. “Você perdoa-os uma vez, e isso piora, você não pode perdoar tais coisas, elas vão acontecer de novo”.

Abaixo, vemos algumas fotos do trabalho de Zakhar.

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars To Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

Russia From Scars to Tattoos

E você? Conhece algum artista brasileiro que tenha a mesma iniciativa? Me mande por email para contar a história! [email protected]

LEIA TAMBEM

Deixe uma resposta